Já falamos aqui no blog  sobre as diferenças entre o cambio manual. semiautomático e automático.  Entretanto, muita gente ainda acredita  que, para dirigir um carro automático, é só colocar na posição D e sair dirigindo. Mas não é bem assim. Se você souber conduzir um automático de maneira adequada, o rendimento melhora e seu bolso agradece.  Além do que, aprender a forma correta de usá-lo garante mais segurança e durabilidade ao sistema. E é por isso que vamos te dar algumas dicas para o correto uso do câmbio automático e semiautomático.

 

Câmbio automático

A principal dica é a leitura do manual do usuário para se familiarizar com cada tipo de sistema. Embora possam ser parecidos, cada carro funciona de um jeito.

A primeira informação a ser colocada em prática diz respeito ao momento de ligar o automóvel. Para acionar a ignição, é preciso antes pisar no pedal do freio para liberar o engate e mudar o câmbio da posição P (de estacionamento) para a posição D (dirigir) e só, então, soltar o freio de mão.

Também há peculiaridades para engatar a marcha à ré (comando R): o carro deve estar totalmente parado e, antes de acionar o comando R, deve-se apertar o botão de travamento, um mecanismo de segurança para evitar acidentes.

Esses cuidados são importantes para diminuir o risco de danos ao sistema de câmbio automático. Jamais deve-se engatar o P com o carro em movimento. Fazendo isso, corre o risco de dar trancos no sistema de transmissão. Esse tipo de conduta pode comprometer a vida útil do sistema de transmissão.

Ao subir ladeiras muito íngremes e com o carro muito carregado, o condutor deve engatar manualmente a marcha 1 ou L (reduzida), que é a marcha de maior força do automóvel. Na situação contrária, quando o motorista estiver descendo uma ladeira muito longa, ele deve manter o câmbio sempre na posição D, que mantém acionado o chamado freio do motor.

Entenda o que significa cada um dos comandos do câmbio automático:

P – Park: para estacionar, recomendado para dar a partida e desligar o motor do automóvel. Bloqueia as rodas de tração.

R – Reverse: marcha à ré. Essa função é acionada com o auxílio de um botão acoplado de câmbio.

N – Neutral: e o neutro, o popular “ponto morto”. Posição que pode ser usada ao dar a partida e desligar. Não bloqueia as rodas de tração.

D – Drive: para movimentar o veículo para frente, usado na maior parte do tempo, cabendo ao motorista acelerar e frear.

4 – 3 – 2 – 1 (L): posições que permitem o bloqueio das marchas. O bloqueio é usado em situações extremas quando o veículo troca várias vezes de uma marcha para outra, impede que o veículo troque as marchas automaticamente.

 

Câmbio semiautomático

Esse câmbio possui modo automático que é bastante simples, as marchas vão sendo trocadas automaticamente, como em qualquer câmbio automático mais tradicional . Porém, nas caixas com comando robotizado essas trocas não são tão suaves, já que existe uma certa hesitação na troca entre uma marcha e outra, o que costuma ser popularmente chamado de “cabeçada”, resultado da falta de aceleração, por um breve momento, durante a troca de marchas. Não há nenhum problema em rodar assim, apenas é um pouco desconfortável ( e pode parecer que você não é um bom motorista).

Para evitar essas “cabeçadas, basta dirigir dirigir usando o modo Manual, ou seja, efetuando as trocas manualmente, o que é facílimo, basta puxar ou empurrar a alavanca, sem nenhum tipo de esforço ou dificuldade. Sem contar que, para aqueles que afirmam gostar de “sentir o carro” quando trocam marchas, a troca manual chega a ser esportiva.

À medida que o carro vai diminuindo a velocidade para parar em um sinal, o câmbio vai reduzindo as marchas até chegar à primeira, quando o sinal abrir, basta acelerar novamente. A outra é comum ao câmbio automático tradicional, sempre que se desejar ( ou necessitar) aceleração mais rapidamente, basta pisar o acelerador até o fundo ( movimento chamado de kickdwon em inglês ) para haver uma redução imediata de marcha, reduzindo uma, duas ou até três marchas, o que é essencial em uma ultrapassagem.

Outras dicas de uso:

– Se você quer tranquilidade ao dirigir ou está enfrentando um congestionamento, deixe a alavanca no modo automático e não se preocupe com mais nada.
– Se você adora passar marchas, coloque o câmbio no modo manual e troque-as você mesmo ( se seu carro tiver borboletas então…).
– Se você quer aproveitar os dois modos, coloque o câmbio no modo automático e, sempre que achar necessário, troque manualmente ( o sistema aceita a troca manual mesmo com o modo automático acionado).
– Se você quer respostas rápidas, use o modo automático com a tecla S apertada ( as trocas ocorrerão a giros mais altos e a resposta do acelerador será mais rápida).
– Se você tiver de subir uma rampa íngreme, típica de estacionamentos e garagens, passe para o modo manual e coloque primeira ( no automático o carro fica muito lento).
– Agora, se você quer andar realmente rápido, coloque o câmbio no modo manual, aperte a tecla S e descubra como o comando robotizado é excelente na hora da “lenha”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *