Algumas pessoas ficam nervosas na hora de fazer o exame prático de direção. Você faz parte deste grupo? Então precisa saber de algo muito importante: o nervosismo na hora da prova é super normal! Para enfrentar este momento, é necessário saber lidar com este sentimento – tentar vencê-lo completamente pode não ser a melhor opção.  A ansiedade faz parte do ser humano. Não é algo que possa ser zerado. Para algumas pessoas, vai ser mais forte. Para outras, menos. Mas é uma emoção que vai vir.

Na hora da prova, podemos sentir o coração bater mais forte e acelerado, as pernas tremerem, as mãos suarem – são sinais de ansiedade que não devem nos assustar. A candidata deve pensar que essas reações são dela – que ninguém mais enxerga isso. Além disso, ela precisa saber que tem como controlar essa ansiedade. Ela é quem tem o controle sobre ela mesma – e sobre o veículo.

Antes de tudo, é fundamental manter a confiança em si mesma. Se você está fazendo a prova, é porque tem condições de enfrentar este desafio. Uma dica prática muito simples para este momento é: respire profundamente três vezes.

Soltar o ar bem lentamente serve para oxigenar o cérebro e ajuda a controlar essas reações físicas. É como se você dissesse para o cérebro ficar calmo que você está no comando da situação. Isso vai ajudar a impedir a continuidade dos sintomas.

Manter o foco nas tarefas que você precisa realizar também ajuda. A psicóloga sugere que você encare o momento como uma tarefa que precisa ser executada: pense na sequência de ações necessárias e esqueça o resto. Quais são as primeiras coisas a serem feitas assim que entrar no carro? Foque em ajustar o banco e os espelhos, em colocar o cinto de segurança, em garantir que o freio de mão está completamente abaixado, em sinalizar com a seta antes de sair com o carro.

Muitas vezes, os instrutores identificam a necessidade de um apoio específico para quem apresenta dificuldades de dirigir mais relacionadas aos aspectos emocionais: O instrutor percebe que não é uma questão de aprendizagem e pode encaminhar para um tratamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *