Com planejamento e boa pesquisa, fica mais fácil acertar na compra do carro novo. Saiba quais aspectos deve considerar antes de fechar o negócio.

1

O momento certo

Sua condição financeira e até mesmo o momento econômico influenciam, mas é você quem sabe a hora para fazer a compra. Na opinião de especialistas, a aquisição ou troca deve ser realizada quando houver uma necessidade efetiva. Ou seja, o apelo emocional não é justificativa.
Em outras palavras, quando o seu atual veículo começar a apresentar falhas e sua manutenção se tornar tão frequente que pese muito no bolso, é chegado o momento da troca.
Já quando a família aumentar e você precisar de mais espaço para a cadeirinha do bebê, um porta-malas grande para o carrinho e outros itens, esses também são motivos reais para investir em um automóvel.
Somado a isso, claro, é preciso fazer um planejamento financeiro para ver qual valor será dado na entrada e se a prestação cabe no bolso. O que não vale é trocar de carro apenas por status e fazer uma negociação com altos juros que não possa ser honrada.

 

Compra planejada
Ter um carro é como ter um filho, indica uma conhecida expressão que denuncia as altas despesas que o veículo demanda. E ninguém discorda. Manter um carro é realmente caro. Por isso, é importante fazer um planejamento minucioso.

2
É bom escolher um veículo pensando em ficar o maior tempo possível com ele. Até mesmo porque é um bem que se desvaloriza desde a sua saída da concessionária até o momento de vendê-lo.
Mesmo se estiver pensando em comprar à vista, lembre-se dos valores que serão gastos em licenciamento, transferência, combustível e manutenção – só para começar. Depois, ainda há seguro, licenciamento anual, IPVA e manutenção.
Por todas essas razões, a compra planejada passa necessariamente por uma decisão em família. O ideal é que haja uma conversa franca com todos os membros da casa, definindo se essa é a prioridade e se a aquisição não irá atrapalhar nenhum outro sonho ou despesa relevante.

 
Qual carro comprar: novo ou usado?
Embora o cheirinho de carro novo seja extremamente sedutor, ao pesquisar, você pode descobrir que sai mais em conta comprar um veículo seminovo do que um zero quilômetro. Afinal, o desempenho é semelhante e o preço mais baixo, lembrando que o novo desvaloriza em torno de 20% já na saída da loja.
A escolha, no entanto, não deve considerar somente o custo. Se conseguir poupar, ótimo. Mas é necessário ainda verificar dois itens de suma importância: o custo de manutenção e o valor das revisões.
Para fazer uma escolha consciente, é preciso ver as suas necessidades. Sua família é grande? Nesse caso, um carro maior é realmente válido. Tem alguém que demanda cuidados especiais? Esse é outro item que requer um veículo mais incrementado.
O conforto também pode ser questionado. Você passa muitas horas ao volante ou dirige apenas esporadicamente? No segundo caso, a necessidade de um carro super completo talvez não seja tão grande.
Você vai dividir o volante com alguém? No caso dos carros de família, optar por um veículo com uma boa regulagem de banco e de direção pode ser realmente útil. Já para um motorista só, não há necessidade desse tipo de luxo.
Uma boa dica é tentar focar nos itens que são realmente importantes no seu dia a dia. Se você recebe muitas ligações, por exemplo, um veículo que tenha conectividade (desses que você consegue conectar o celular no rádio por Bluetooth, permitindo atender sem usar as mãos) pode ser interessante. Mais que tecnologia, também é um item de segurança.
Já se você viaja muito, tem filhos (ou pretende ter em breve), o tamanho do porta-malas deve ser avaliado. Já opcionais, como telas para assistir a vídeos no banco de trás, podem esperar um pouco. Se esse acessório está na sua lista de desejos, prefira antes pesquisar para conseguir por um bom preço, instalando depois de forma independente.
Se você não está disposto a gastar muito, também é importante escolher um carro econômico. Os modelos zero quilômetro já apresentam um gasto menor, mesmo com motor mais potente. Mas isso não vale para os usados. O tipo de estrada onde você irá rodar também deve ser avaliado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *