Procrastinar significa adiar aquilo que é importante de ser feito e que, se fosse feito, traria um benefício para nossa vida. Nesse texto eu vou dar pra você o acesso a uma vídeo aula com um poderoso exercício para combater e eliminar a procrastinação (Essencial para ter sucesso e realização pessoal e profissional), e também vou falar sobre o que verdadeiramente está por trás desse mal que assola o ser humano.

Podemos procrastinar uma obrigação, como uma conta para pagar ou um relatório pra fazer. Mas, pode também ser algo que não é uma obrigação, mas que, se fosse feito, traria um benefício para a nossa vida como fazer um curso; organizar o seu trabalho; fazer um investimento na sua carreira…

Outros exemplos de coisas que é comum deixarmos pra depois: exames médicos; dentista; dieta; exercícios; cuidados com o bem estar e saúde; projetos pessoais e profissionais; término de relacionamento; conserto de coisas quebradas; organização de coisas em casa; doação e limpeza de coisas que não utilizamos; elaboração de orçamento; colocar as dívidas no papel; fazer algo que envolve criatividade… São muitas coisas.

Existem várias razões por trás desse comportamento. Essas razões não são lógicas ou racionais. Tem um fundo muito mais emocional, e em muitos casos, é processo que ocorre de forma inconsciente. Vou relatar aqui algumas dessas razões por trás da procrastinação, desde uma mais superficial até outras mais profundas.

A simples sensação de que a tarefa que você vai fazer é chata, entediante, faz você adiá-la. É uma tentativa de não entrar em contato com o sentimento ruim que surge ao pensar em fazer a tarefa. Então você deixa pra depois, sente um alivio momentâneo que não é verdadeiro. Porque no fundo você sabe que tem que fazer. Isso acaba gerando mais ansiedade. E a ansiedade cria um estado de inquietação física e mental, leva a confusão e paralisia, e isso contribui também para gerar mais procrastinação.

Será que é possível remover esse sentimento de que a tarefa é muito chata, entediante? Sim, tem uma técnica que faz isso maravilhosamente bem que vou ensinar pra você. Quando você remove a sensação, a tarefa pode não se tornar a coisa mais agradável do mundo pra ser feita, mas pode ser encarada com sentimento de paz. Assim, você não foge e consegue colocar em prática.

Essa razão que eu citei, no parágrafo anterior, é uma razão mais superficial que nos leva a procrastinar. Existem outras muito mais profundas. Isso porque a procrastinação é uma das formas de manifestação da autossabotagem. E autossabotagem acontece devido a inúmeros fatores emocionais. Vou citar exemplos.

O ser humano tem uma necessidade de se identificar com as pessoas que ele convive e ama, como a família, por exemplo. E essa identificação acontece no nível dos interesses intelectuais, culturais e até na questão do nível financeiro. Se você começa a crescer em alguns desses campos, é possível que tenha medo de perder a identificação com essas pessoas e comece a se afastar emocionalmente delas. Sendo assim, a pessoa sabota o seu crescimento profissional adiando coisas que ela sabe que poderiam alavancar a sua carreira. Poderia fazer um determinado curso, mas não faz, vai deixando pra depois e nem sabe a razão. No fundo, existe o medo de se afastar, medo de ficar diferente e não se sentir igual aos outros, medo até de sofrer rejeição se vier a se tornar uma pessoa diferente.

Isso normalmente acontece em um nível inconsciente. Se você perguntar para a pessoa, é provável que ela diga que gostaria muito de crescer profissionalmente, e ela vai justificar a falta de atitude pra alavancar esse crescimento com outras explicações mais superficiais. Talvez a pessoa diga que é preguiçosa, que não tem força de vontade o suficiente. Mas tudo isso já é o reflexo desses sentimentos que a pessoa guarda que geram essa energia sabotadora e levam a sentir preguiça e falta de vontade.

Sentimentos de culpa levam a processos de autopunição. E uma forma de se punir é deixar pra depois coisas que poderiam melhorar a sua vida. A culpa gera um sentimento de que você não merece coisas boas, porque em algum nível você se julga uma má pessoa que fez algo condenável. E se você fez algo condenável, vai adiando ações que poderiam levar uma vida mais feliz. No fundo, a pessoa não acha justo que ela seja mais feliz.

Essa culpa pode ter origem em algo que a pessoa fez como um aborto, uma traição, um ato desonesto. Mas, pode ser também causada por falta de apoio e elogio na infância e excesso de críticas. Crianças que são muito cobradas e pouco elogiadas tendem a achar que elas fazem tudo errado e se sentem culpadas por não serem bons filhos. Elas acham que é de sua responsabilidade a insatisfação que elas veem nos seus pais. Sentem que não são boas o suficiente.

Tudo isso vai baixar a autoestima, o amor próprio. E quem não se ama plenamente começa a sabotar a própria vida das mais variadas formas, inclusive, através da procrastinação.

Por André Lima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *