Tirei minha carteira bem nova se hoje eu ainda me importo com a opinião dos outros mais do que gostaria, com 18 anos era muito mais .
A minha mãe sempre foi uma excelente motorista , e acredito que foi algumas tentativas traumáticas com ela que me deixou travada ! Eu acreditava que era ruim de roda mesmo .
Tive outras tentativas com namorados, mas ninguém tinha paciência comigo e essas situações iam reforçando que eu não era capaz e me sentia muito mal. Aos 30 anos, já no segundo casamento, mãe, profissional, etc… Me sentia dependente por não saber dirigir, como se fosse uma habilidade inatingível, como uma deficiência. Tinha vergonha de dizer que tinha medo de dirigir e me dei conta que estava sempre depositando em outras pessoas a responsabilidade sobre isso (tanto causa, quanto solução) e foi aí que decidi procurar ajuda profissional, pois independentemente da origem desse problema, a solução estava em mim, assim como as outras questões da minha vida. Salete é uma excelente profissional e em bem menos tempo do que imaginava estou tranquila para dirigir, sem pressa, sem pressão e sem medo! Foram dias muito divertidos de bate-papo, algumas piadas sobre nossos olhares distintos dentro da psicologia, mas sempre com muito respeito ao posicionamento uma da outra! Um tratamento psicológico muito eficaz e sendo uma paciente obediente e topando todos os desafios, em pouquíssimo tempo é possível se deliciar com a liberdade de ir e vir! Muitas selfies de empoderamento ao volante e risadas no caminho também estão garantidas! A Salete não me deu asas, mas me deu 4 rodas!!! Gratidão!!!

Rayssa Fernandes de Castro,  30 anos Psicóloga  Cnh desde 2007

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *